Internet e amigos fazem um tempero bom?

É fácil de dizer que você tenha mais amigos do que o comum para não dizer que você não tenha somente uma piscadela acompanhe você até o famigerado ponto em que estão divididos uma uma linha no banco de dados, e essa tal o que mais precisa para dizer que você precise ou não o quanto antes de dizer que você precisa para concordar ou não de um acordo em que você constrói o quanto se necessita para dizer que você está mais que arrojado aos olhos dos amigos do seus amigos até que se comprove por um “DELETE” no banco de dados acabar com tudo e fazer com que você perca toda a situação que você e o usuário de internet que você o chamava de amigo até compreender que não é só de uma forma normal que entenda que de passagem você precisará encarar que a internet é apenas mais uma ferramenta para aproximar mais do que dificultar relações humanas em ter uma pessoa mais próxima do que o comum e ao mesmo tempo fazer com que economize tempo e agilize mais propostas, todas elas, seja de formar uma amizade até compreender a profundidamente que possa alavancar na sua vida profissional.

Portando você não só deve encostar em amizades cujo não apenas você julga ser uma relação duradoura para que economize não só o tempo gasto para dizer que era a amizade que vocês construíram juntos possa não manter uma proposta mas pelo menos amadurece você ainda mais para dizer que consiga ou não ter aquele amigo cobiçado em sua linha do tempo para que você curta e possa entender que é o momento de que você estabeleça o quanto está passando o seu tempo e adiantando não só a vida da outra pessoa que você adicionou, mas também que se tire proveito seja qualquer um mesmo que tenha que considerar o gasto de tempo das duas em relação aos dois que trocaram mensagens e fazer com que calcule não só o momento em que se necessitou para saber o proveito tirado, seja enriquecer a amizade sua ou de alguma amigo seu para que de alguma forma possa estabelecer a colaboratividade em relação que se possa seguir em frente mantendo o laço em que há se ocorrer troca de alguma coisa entre as relações.